Nave espacial Osiris toca com sucesso asteróide Bennu

Atualizado em 21/10/2020 10:40 por Éter 7 News

Anúncio

Se tudo der certo, a aeronave retornará à Terra em 2023, diz Nasa

A Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) informou que a nave espacial Osiris obteve sucesso em sua missão de pousar no asteroide Bennu para, em seguida, coletar poeira e grãos de seixo com seu braço robótico e disparar seus propulsores, a fim de sair da órbita do asteroide. Se tudo der certo, a Osiris retornará à Terra em 2023.

Localizado atualmente a mais de 321 milhões de quilômetros da Terra, Bennu é um asteroide antigo e bem preservado que servirá, para os cientistas, como uma “janela para o início do sistema solar de bilhões de anos atrás, possivelmente lançando ingredientes que poderiam ter ajudado a semear a vida na Terra”, ressaltou, por meio de nota, a Nasa.

Se tudo correr como o esperado com o evento de coleta denominado “Touch-And-Go” (TAG), e ele fornecer uma quantidade suficiente de amostras, as equipes da missão iniciarão os comandos para que a espaçonave armazene a “preciosa carga primordial” e, em seguida inicie, em março 2021, a jornada de retorno à Terra. Caso contrário, uma outra tentativa só será feita em janeiro.

“Este é um feito da Nasa é um desafio que vai expandir as fronteiras do conhecimento”, disse o administrador da agência Jim Bridenstine. “Nossos parceiros industriais, acadêmicos e internacionais tornaram possível segurar um pedaço do sistema solar mais antigo em nossas mãos”, acrescentou.

Após ter disparado seus propulsores para atravessar a órbita e chegar a Bennu, Osiris estendeu o ombro, depois o cotovelo e o pulso de seu braço de amostragem de 3,35 metros e transitou pelo asteroide em direção à superfície. A descida durou quatro horas. A espaçonave fez então a primeira de duas manobras para permitir que chegasse com precisão o local de coleta de amostra conhecido como Nightingale – um dos poucos pontos relativamente limpos nesta rocha espacial inesperadamente coberta de pedras. O pouso foi em uma cratera localizada em um local claro do hemisfério norte de Bennu.

“Após mais de uma década de planejamento, a equipe está radiante com o sucesso da tentativa de amostragem de hoje”, disse o pesquisador principal da Osiris na Universidade do Arizona, Dante Lauretta. “Embora tenhamos algum trabalho pela frente para determinar o resultado do evento, o contato bem-sucedido com o asteroide, a queima de gás e o afastamento de Bennu já representam uma grande conquista para a equipe. Estou ansioso para analisar os dados para determinar a massa da amostra coletada”, disse ele por meio de nota divulgada pela Nasa.

Ainda segundo a agência, todos os dados de telemetria da espaçonave indicam que o evento TAG foi executado conforme o esperado. No entanto, levará cerca de uma semana para a equipe confirmar a quantidade de amostra que a espaçonave coletou. Dados em tempo real indicam o sucesso da operação no contato com a superfície e na explosão de gás nitrogênio feita com o objetivo de levantar poeira e seixos da superfície de Bennu. A expectativa é de que esse material tenha sido capturado. Os engenheiros da Osiris confirmaram que, logo depois que a espaçonave fez contato com a superfície, ela disparou seus propulsores e se afastou com segurança de Bennu.

“A manobra de hoje foi histórica”, disse a diretora da Divisão de Ciência Planetária na sede da Nasa em Washington, Lori Glaze. Agora, a equipe Osiris começará a avaliar se a espaçonave capturou o material, conforme esperado e, em caso afirmativo, quanto foi coletado. A meta é de pelo menos 60 gramas, o que é mais ou menos o equivalente a uma barra de chocolate de tamanho normal.

Os engenheiros e cientistas usarão várias técnicas para identificar e medir a amostra remotamente. Primeiro, vão comparar as imagens da região Nightingale antes e depois do TAG, para ver quanto material de superfície se moveu em resposta à explosão de gás. “Nossa primeira indicação sobre se tivemos sucesso na coleta de uma amostra virá em breve, quando acessarmos a filmagem feita a partir da espaçonave”, disse o gerente de projeto adjunto da Osiris no Goddard Space Flight Center Michael Moreau. “Se o TAG causou uma perturbação significativa na superfície, provavelmente coletamos muito material”, acrescentou. Só em seguida, a equipe tentará determinar a quantidade de amostra coletada.

Caso constate que não foram coletadas amostras suficientes em Nightingale, uma outra manobra será tentada em 12 de janeiro de 2021, quando a espaçonave pousará no local de chamado Osprey, uma área relativamente livre de pedras, dentro de uma cratera perto do equador de Bennu.

Receba Notícias e Conteúdos Legais em nosso WhatsApp!
*Só nós postamos no grupo, então não há spam! Pode vir tranquilo.

Lançada da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral na Flórida em 8 de setembro de 2016, a Osiris chegou a Bennu em 3 de dezembro de 2018 para, em 31 de dezembro, começou a orbitar em sua órbita pela primeira vez. A espaçonave está programada para retornar para a Terra em 24 de setembro de 2023, quando lançará, com a ajuda de um paraquedas, sua cápsula de coleta no deserto de Utah.

*Com informações da Nasa

Fonte: Agência Brasil.

Deixe um comentário