Embora essa variante do SARS-CoV-2 seja menos agressiva que as anteriores, o aumento explosivo no número de infecções deixa mais uma vez o sistema de saúde do país à beira do colapso. Falta de testes e apagão de dados no Ministério da Saúde impedem avaliação precisa da situação. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil.

Embora essa variante do SARS-CoV-2 seja menos agressiva que as anteriores, o aumento explosivo no número de infecções deixa mais uma vez o sistema de saúde do país à beira do colapso. Falta de testes e apagão de dados no Ministério da Saúde impedem avaliação precisa da situação. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil.



Embora essa variante do SARS-CoV-2 seja menos agressiva que as anteriores, o aumento explosivo no número de infecções deixa mais uma vez o sistema de saúde do país à beira do colapso. Falta de testes e apagão de dados no Ministério da Saúde impedem avaliação precisa da situação. Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil.

Leia também:

Deixe um comentário