Doenças gengivais e colesterol: entenda a relação

Foto: Homem foto criado por diana.grytsku – br.freepik.com

Atualizado em 04/06/2021 14:16 por Éter 7 News

Ainda que pareça pouco provável, a relação entre as doenças gengivais e colesterol são mais estreitas do que se imagina.

Primeiramente, os hábitos alimentares que danificam a superfície dos dentes e propiciam a multiplicação das bactérias causadoras de cáries e inflamações das gengivas, são os mesmos costumes que aumentam os níveis de gordura do sangue e causam o colesterol alto.

Ao mesmo tempo, as doenças gengivais podem afetar o tratamento e controle dos níveis de gordura no sangue causando ainda mais problemas na saúde do paciente.

Por isso, para saber mais sobre como evitar esse tipo de risco é preciso primeiro entender como a dislipidemia funciona.

O que é o colesterol?

O colesterol é um tipo de gordura essencial para o funcionamento celular do nosso organismo.

Ele é responsável pela produção hormonal, formação da vitamina D e dos sais biliares, que por sua vez, age na digestão e na absorção das vitaminas e nutrientes.

Podemos encontrar o colesterol em três formas: HDL, LDL e VLDL. Cada um dos tipos têm sua função e importância, mas os níveis aumentados de LDL podem trazer graves consequências para o corpo.

Essa gordura é majoritariamente produzida no próprio organismo, mas pode ser ingerida por meio de alimentos como frituras, carnes embutidas, doces e bebidas açucaradas, além das comidas de origem industrializadas.

Essa presença excessiva da lipoproteína de baixa densidade (LDL) pode formar placas que se fixam nas paredes das artérias e geram dificuldades na passagem do sangue.

Além disso, a dislipidemia pode causar doenças como:

  • Pressão alta;
  • Problemas cardíacos;
  • Derrame (AVC);
  • Entupimento de veias;
  • Infarto.

O colesterol tem, ainda, efeitos adversos na saúde bucal ao mesmo tempo em que pode beneficiá-la. Quer saber como?

Influências na saúde bucal

Uma das principais características do aumento da gordura no sangue é a dificuldade na cicatrização da mucosa bucal.

Neste caso, as feridas causadas por aftas, aparelhos ortodônticos e até dentadura podem demorar muito mais tempo para cicatrizar.

Esse efeito é particularmente prejudicial quando o paciente precisa passar por intervenções cirúrgicas, como a remoção dos dentes do siso ou a fixação de um implante dentário.

Fora isso, o remédio para o controle do colesterol deixa o esmalte protetor – camada mais superficial dos dentes – mais densa que o normal, causando efeitos na saúde bucal.

Isso porque, ao mesmo tempo em que o medicamento ajuda na proteção, tornando os dentes mais resistentes à ação das bactérias bucais, ele dificulta o acesso aos tecidos internos, complicando a realização de tratamentos de canal, por exemplo.

No entanto, não é apenas o colesterol que pode impactar na integridade dos dentes. Os problemas na boca também podem piorar o quadro da doença.

Estudos indicam que os pacientes com periodontite apresentam até quatro vezes mais chances de ter níveis elevados de triglicérides, além de possuírem menores quantidades de HDL – o colesterol “bom”, que impede o acúmulo do LDL.

Assim, essa infecção mais agravada dos tecidos gengivais pode aumentar os níveis de colesterol e impactar negativamente na saúde do paciente.

Cuidados a serem tomados

Sendo assim, os cuidados com a higienização bucal são fundamentais para a diminuição da concentração dos microrganismos responsáveis pelo surgimento de cáries, placas bacterianas e o tártaro.

Essas condições originam as inflamações gengivais e a periodontia.  Por isso, os pacientes que sofrem com dislipidemia devem ficar atentos aos sangramentos gengivais, além de:

  • Escovar os dentes três vezes ao dia;
  • Utilizar diariamente o fio dental;
  • Fazer bochecho com um enxaguante bucal indicado pelo dentista;
  • Diminuir a ingestão de açúcares e gorduras que fermentam as bactérias;
  • Realizar limpeza profunda a cada quatro meses com um dentista.

Além disso, as pessoas que utilizam o aparelho invisivel ou a prótese dentária devem se lembrar de higienizar apropriadamente esses acessórios, pois eles podem acumular bactérias e irritar as gengivas.

O processo de escovação é fundamental para a manutenção da saúde de todo o organismo, por isso todos os pacientes devem tornar essa rotina uma prioridade.

Fora as consultas de rotina, os pacientes que colocaram a lente de contato dental devem comparecer regularmente e sempre que necessário às visitas de manutenção.

Afinal, uma vez que as facetas apresentarem algum defeito ou abertura indevida, os micróbios presentes na saliva podem infiltrar a prótese e atacar os dentes.

As consultas de rotina também são boas para a detecção prematura de enfermidades e para a realização de tratamentos que promovam a saúde e a beleza dos dentes, como o clareamento dental.

Deste modo, é importante salientar que o acompanhamento odontológico é fundamental para a manutenção do bem-estar de qualquer paciente.

No entanto, as pessoas que sofrem com doenças sistêmicas e crônicas, como a hipercolesterolemia e a diabete, devem manter essas visitas ainda mais constantes.

Por isso, procure um profissional de qualidade e confiança sempre que notar alguma anormalidade na saúde bucal, necessidade de limpeza profunda ou quando quiser sanar dúvidas quanto a procedimentos, como o valor de um implante dentário, por exemplo.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *