Três dicas para cabelos Candy colors

Atualizado em 13/08/2021 17:59 por Éter 7 News

Conhecida por suas tonalidades suaves, os cabelos coloridos pintados com tintas “fantasias” são a nova tendência da moda atual; especialista lista dicas de como manter a cor sem prejudicar a saúde dos fios

A moda dos cabelos coloridos com tons de rosa, roxo, azul e verde, já foram “febre” nos anos 2000, principalmente entre as famosas como Hillary Duff, Katy Perry, Britney Spears e Avril Lavigne. E, como sabemos que tudo que faz sucesso em uma temporada pode retornar um dia, dessa vez não foi diferente, principalmente em meio a pandemia. Os cabelos coloridos ressurgem, principalmente entre os jovens, com um aspecto de cor mais desbotada. Conhecido como Candy Colors, as cores pastéis estão com tudo e se encontram entre os mais pedidos nos salões brasileiros.





Mesmo com a crise econômica e o alto índice de desemprego no país, o setor de beleza não foi muito afetado. Para se ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa realizada pela Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), o setor encontra-se entre os que mais crescem no Brasil. Além disso, é estimado uma alta de 1,5% a 2% para o ano e, a indústria de beleza, movimenta cerca de R$ 101 bilhões ao ano, desde 2001.

De olho neste cenário e para acompanhar essa tendência, a cabeleireira e especialista em coloração e hairstylist Bruno Thiago – dono do instagram @brunothiagohair, explica que todos podem apostar nos fios coloridos, desde que os procedimentos sejam realizados com segurança. “Para manter os fios hidratados e no tom desejado é necessário tomar uma série de cuidados”, salienta.

Leia também:


Abaixo, a especialista lista três dicas para conseguir o tom desejado sem prejudicar os fios:





 1- Capacidade do cabelo para receber uma mudança

O primeiro passo é saber se o cabelo está saudável e preparado para receber a transformação. “É necessário avaliar se os fios irão aguentar o processo. Para isso faço uma análise da saúde do cabelo e o teste de mecha antes de iniciar o processo”, conta Bruno.

Ela ainda explica que, quando os cabelos estão opacos, elásticos e sem vida, o indicado é deixar a mudança mais para frente e optar por tratamentos capilares. “Antes de começar o processo, converso com a/o cliente e vejo se suas expectativas refletem o quanto os fios vão suportar, caso ainda não seja o momento para mudar isso, indico o tratamento adequado para a situação do cabelo”, completa o colorista e hairstylist Bruno Thiago.

2- Tonalizante X Coloração

Para escolher a cor e a tonalidade que será aplicada no cabelo é necessário levar em conta o estilo da pessoa e a vitalidade dos fios. Segundo Bruno, para aplicar os tonalizantes nas cores fantasias ao cabelo é fundamental que os fios estejam claros ou descoloridos. “Quanto mais claro estiver o cabelo, mais forte será o tom de rosa, vermelho ou azul nos fios”, revela.

Já a coloração é a base de amônia, oxidante e fixa a cor aos fios. “Ela é indicada principalmente na cobertura de brancos, clareamentos de louros, ruivos, marrons e até para brincar com mechas multicores em cabelos naturais. O tonalizante, por sua vez, tem a mesma base de coloração, sem amônia, não age no interior dos cabelos e tende a sair ao longo do tempo, porque só pigmenta a parte externa do cabelo”, acrescenta Bruno Thiago.

3- Manutenção 

Os cabelos em tons fantasias precisam de cuidados semanais.  “Manter os fios rosa, roxo, azul ou verde exige a necessidade de retocar o tom com tonalizantes, para que os fios não fiquem com aspecto de desbotados. Para isso, é possível reaplicar o tonalizante puro ou em cremes, mas é importante conversar com seu cabeleireiro, para saber qual é o mais indicado”, finaliza especialista em coloração e hairstylist Bruno Thiago – dono do instagram @brunothiagohair.

Deixe um comentário